ABECS - CMEP

CMEP – Congresso de Meios Eletrônicos de Pagamento

Site oficial do evento: www.cmepabecs.com.br

(Obs: Os conteúdos do evento estão disponíveis no site oficial do evento)

O 12º CMEP (CONGRESSO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO), realizado nos dias 13 e 14 de março, no WTC - World Trade Center, em São Paulo, foi uma oportunidade única para a discussão dos temas mais atuais do setor de meios eletrônicos de pagamento, como as oportunidades de crescimento, o papel das inovações na formalização da economia e as agendas positivas.

O presidente da Abecs, Fernando Chacon, abriu o evento apresentando o desempenho do setor em 2017 a partir de dados do novo Monitor Bandeiras, que reúne informações mais precisas fornecidas pelas cinco principais bandeiras em atuação no Brasil.

No período, os brasileiros realizaram R$ 1,36 trilhão em compras com cartões, um crescimento de 12,6% em relação a 2016. Somadas, as transações realizadas com meios eletrônicos de pagamento já representam 32,6% do consumo das famílias brasileiras.

Os dados refletem o bom desempenho do setor, cujo valor transacionado deve atingir R$ 1,57 trilhão em 2018 - um crescimento entre 14,5% e 16,5% em relação a 2017, segundo projeção da Abecs. "A indústria não deixou de crescer nos últimos anos, a despeito da queda do PIB em 2015 e 2016", disse Chacon.

Bernard Appy, diretor do Centro de Cidadania Fiscal, deu detalhes de uma proposta de substituição gradativa do IPI, ICMS, ISS, PIS e Cofins por um único imposto sobre o consumo de bens e serviços. A mudança, segundo ele, seria capaz de aumentar consideravelmente a eficiência produtiva do Brasil.

As iniciativas do setor para fomentar a formalização da economia conjugando inovação, tecnologia e contribuições regulatórias foram um dos pontos altos trazidos ao palco do CMEP.

Isaac Sidney Menezes Ferreira, diretor de Relacionamento Institucional e Cidadania do Banco Central, falou sobre iniciativas da entidade para levar mais informações ao consumidor e ajudá-lo a se conscientizar sobre o uso racional do cartão de crédito.

Já o impacto da reforma trabalhista nos meios eletrônicos de pagamento foi debatido entre Adauto Duarte, diretor de Relações Trabalhistas e Sindicais da Febraban; Alexandre Rappaport, presidente da Livelo; Raul Francisco Moreira, presidente do Conselho de Ética e Autorregulação da Abecs e presidente da Alelo; e Thais Galo, sócia da área Trabalhista do Pinheiro Neto Advogados. Com moderação de Leonel Andrade, presidente da Smiles, os palestrantes destacaram as oportunidades para o setor com as diferentes remunerações viabilizadas pelas novas leis trabalhistas.

No segundo dia do evento, a inovação foi tema de palestras sobre experiências recentes no Brasil e no exterior. O CMEP foi encerrado com uma sessão sobre os atuais esforços do setor para fomentar agendas positivas que aumentem a eficiência dos meios eletrônicos de pagamento, reduzam o custo de crédito no Brasil e diminuam a circulação de numerário.

Acessibilidade e Prêmio Abecs Melhores Práticas
Um dos grandes destaques do evento foi o lançamento das soluções de acessibilidade desenvolvidas pela Abecs, voltadas especialmente para o deficiente visual: a película tátil para POS "touchscreen" e o aplicativo Pay Voice. O painel de lançamento foi apresentado por Pedro Coutinho, presidente da Getnet e vice-presidente da Abecs, que também convidou ao palco Claudinei Martins, pesquisador de Inovações Tecnológicas do CPqD, José Barletta, diretor de Desenvolvimento de Aplicações da Ingenico Group, e Klaus Gottsfritz, diretor de Tecnologia da PAX do Brasil, que puderam comentar um pouco mais sobre as iniciativas. Assista aqui ao vídeo sobre as soluções.

Outro destaque foi a entrega do 4º Prêmio Abecs de Melhores Práticas, que neste ano foi concedido aos projetos Vero Mobile, da Banrisul Cartões; Apoio à comunidade empreendedora de startups do Brasil e Implementação do serviço de autenticação, ambos da Visa. Os troféus foram entregues por Márcio Vieira Recalde, diretor- executivo de Cartões e Meios de Pagamento Eletrônicos da Caixa e diretor da Abecs. 

O TEMA É UM DOS PRINCIPAIS DESAFIOS DO SETOR - e um dos que oferecem maiores oportunidades de desenvolvimento de tecnologias e melhores práticas de meios eletrônicos de pagamento. Rogério Panca, diretor de Meios de Pagamento do Banco do Brasil, destacou iniciativas da instituição e apresentou a proposta criada pelo setor, com base em estudo da Abecs, de implantação de um programa nacional de estímulo ao uso dos meios eletrônicos de pagamento, com potencial para incrementar em 7,3% (aproximadamente R$ 59 bilhões) a arrecadação federal já no terceiro ano de funcionamento, sem aumento de alíquotas.

Gustavo Noman, diretor-executivo de Relações Governamentais da Visa do Brasil, apresentou dados marcantes de um estudo que mostra o potencial impacto econômico do maior uso de pagamentos digitais em grandes cidades do mundo, inclusive São Paulo e Brasília, onde o benefício total chegaria a US$ 13 bilhões.

Por sua vez, Miguel Angel Prieto Morales, diretor de Soluções de Meios de Pagamento da Indra-Tecnocom, destacou tendências nos meios eletrônicos de pagamento, como a maior presença das fintechs, a disseminação do blockchain, as APIs e a maior conectividade, entre outras soluções.

O PESQUISADOR E PROFESSOR DE ENGENHARIA Sílvio Meira observou que só sobreviverá no setor de meios de pagamento quem pensar e atuar em rede, por meio da colaboração.

A tendência vai ao encontro das mudanças no varejo, em que são cada vez mais importantes o conhecimento acerca do usuário e as iniciativas que aprimoram sua experiência de compra. Com o surgimento de novos serviços digitais, como Uber e Airbnb, o setor tem o desafio de trazer soluções que não se esgotam no pagamento, como ficou claro na fala dos palestrantes André Fatala, diretor do Luiza Labs; Guilherme Horn, head de Inovação da Accenture; Luca Cavalcanti, diretor executivo de Pesquisa e Inovação e Canais Digitais do Bradesco; e Nuno Lopes Alves, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios da Visa do Brasil; com moderação de Danilo Caffaro, vice-presidente de Produtos, Negócios, Inovação e Marketing da Cielo.

As experiências do exterior foram compartilhadas pelos palestrantes internacionais Rebecca Ledingham, vice-presidente de Security Decisioning and Products da Mastercard, que falou sobre o poder do cyber security no desenvolvimento do mercado; e Nick Mackie, head of Contactless & Transit da Visa na Europa, que apresentou os benefícios desse sistema, principalmente no transporte público londrino.

FRUTO DE UM DIÁLOGO INTENSO COM O REGULADOR, o setor está empenhado em algumas ações, que foram apresentadas pelo presidente, Fernando Chacon, e alguns dos diretores da Abecs. A primeira delas é a ampliação das alternativas de financiamento, com a proposta de uma linha de crédito que diminua o prazo de pagamento ao lojista e ofereça uma nova alternativa de crédito ao consumidor, segundo Eduardo Chedid, presidente da Elo Serviços.

Outra linha de atuação é o aumento do uso do cartão de débito. Segundo Rodrigo Cury, diretor de Cartões e Conta Corrente do Santander, a digitalização das transações aumenta a segurança, formaliza a economia, reduz o custo do dinheiro e traz mais conveniência para o consumidor e o lojista.

A terceira frente é o desenvolvimento de soluções de transferências de valores de pessoa para pessoa. João Pedro Paro Neto, presidente da MasterCard Brasil e Cone Sul, apresentou tópicos que estão em debate na Abecs sobre soluções interoperáveis para este tipo de transação.

Alexandre Magnani, diretor Comercial e de Marketing do PagSeguro UOL, falou como a definição regulatória pode viabilizar a inclusão de subadquirentes e marketplaces na grade centralizada de liquidação.

Já em relação ao contactless, Percival Jatobá, vice-presidente de Inovação da Visa Brasil, apresentou o movimento coordenado que vem sendo feito pela indústria de meios de pagamento para padronizar a tecnologia NFC e fomentar seu uso. 

 


Perfil do Evento: Congresso Anual

16 patrocinadores

12 painéis

33 palestrantes

Obs: Dados extraídos do 11º CMEP, realizado em 14 e 15 de março de 2017.