Notícias

Entenda como fica o rotativo do cartão

por Notícias às 09:38 de 09/03/2017 em Mercado de Cartões

Fonte: FOLHA DE S.PAULO/SÃO PAULO | MERCADO

A partir de 3 de abril, nenhum cliente poderá ficar mais de 30 dias no rotativo do cartão de crédito

Após esse prazo, o banco precisa oferecer juros mais baixos e parcelar a dívida do rotativo. Cada banco define as próprias regras desse parcelamento automático

A diferença entre o valor total da fatura e o pagamento mínimo entrará no rotativo do mês seguinte. O cliente pode pagar o mínio todos os meses e a dívida cresce de forma exponencial

OPÇÕES DE PAGAMENTO

Fatura

É a conta mensal que detalha as despesas do cartão de crédito. É composta pelas compras do mês, parcelas de compras realizadas em meses anteriores, saldo do rotativo e parcelamentos de fatura.

Pagamento mínimo

É de pelo menos 15% do valor da fatura mensal, segundo determinação do Banco Central. O valor não pago entra no crédito rotativo

Crédito rotativo

O cliente entra no rotativo quando paga entre o mínimo e o máximo da fatura. A diferença entre o valor total da conta e o pago é financiada, com incidência encargos (juros e IOF). A taxa média do rotativo é de cerca de 500% ao ano

Parcelamento do total da fatura

O cliente que não puder quitar integralmente a fatura do mês pode optar por parcelar a dívida ao invés de entrar no rotativo. 0 parcelamento de fatura tem taxas mais baixas, ao redor de 150% ao ano

Limite de crédito

Valor que o banco disponibiliza para gastos no cartão de crédito. Quando o cliente parcela a fatura ou entra no rotativo, essas despesas são descontadas do limite de crédito

COMPOSIÇÃO DA FATURA (Igual em todos os bancos)

Gastos do mês + Rotativo + Encargos sobre o rotativo + Parcelamentos de faturas anteriores

+ Total da fatura

O parcelamento automático será do pagamento mínimo

Fazer o pagamento mínimo

A diferença entre o valor total da fatura e o pagamento mínimo entrará no rotativo do mês seguinte

Parcelar o total da fatura

Entrar no parcelamento automático

Quem não puder pagar o valor mínimo da fatura pode optar pelo parcelamento automático em 24 vezes, pagando o equivalente à Ia parcela. O valor parcelado será o mínimo da fatura. O restante irá para o rotativo do mês seguinte

O parcelamento automático do rotativo começa já no primeiro mês

Fazer o pagamento mínimo

A diferença entre o valor total da fatura e o pagamento mínimo entrará no rotativo e formará um novo parcelamento no mês seguinte

Parcelar o total da fatura

Entrar no parcelamento automático

Ocorrerá sempre que o cliente entrar no rotativo e não quitá-lo integralmente no mês seguinte

O parcelamento automático será calculado com o total da fatura, e não sobre o rotativo

Pagar o total da fatura /Fazer o pagamento mínimo

A diferença entre o valor total da fatura e o pagamento mínimo entrará no rotativo do mês seguinte

Parcelar o total da fatura

Entrar no parcelamento automático

Quem não puder pagar o valor mínimo da fatura pode pagar um valor menor que o mínimo como entrada, respeitando o piso estabelecido pelo banco.

O restante da fatura será parcelado em 12 vezes o total da fatura

Pagar apenas o rotativo

Fazer o pagamento mínimo

Pagando 15% do total da fatura, o cliente não quita o rotativo do mês anterior e entra no parcelamento automático. A parte não paga do rotativo será parcelada em até 18 vezes. Todo o gasto do mês irá para o rotativo do mês seguinte

O Parcelar o total da fatura

Entenda como fica o rotativo do cartão

Itaú, Bradesco, BB e Santander já anunciaram regras de parcelamento da dívida, que valem a partir de 3 de abril

Norma publicada em janeiro proíbe as instituições de deixar consumidor por mais de 30 dias no rotativo

Os bancos começam a explicar a seus clientes como farão para parcelar a dívida no rotativo do cartão de crédito.

Em janeiro, o CMN (Conselho Monetário Nacional) publicou as regras que proíbem bancos de deixar um consumidor por mais de 30 dias no rotativo. Depois desse prazo, a instituição é obrigada a oferecer condições mais favoráveis para o pagamento da dívida —leia-se, juros mais baixos e prazo maior.

As regras começam a valer em 3 de abril. Com isso, o cliente que entrar no rotativo no próximo mês e não puder quitar o valor devido em maio terá sua dívida parcelada.

Cada banco criou a própria forma de fazer esse parcelamento. Há quem vá parcelar apenas a dívida que efetivamente estava no rotativo e até quem dividirá todo o valor da fatura (veja quadro acima).

“Quando saiu a regulação, cada banco teve uma ideia do que fazer. E existem estratégias comerciais conflitantes, além de dificuldades tecnológicas”, diz Rodrigo Cury, superintendente de cartões do Santander, sobre a diferença de modelos adotados pelos grandes bancos.

As instituições financeiras também aproveitaram para anunciar redução de taxas de juros no rotativo.

O Bradesco acabou com a taxado rotativo. Sempre que o cliente pagar o mínimo da fatura, contratará o parcelamento de fatura, cuja primeira parcela vencerá no mês seguinte. As taxas do parcelamento de fatura são menores do que as do rotativo.

Já o Itaú trouxe as taxas do rotativo de quase 16% ao mês para abaixo dos 10% ao mês, pouco acima do parcelado. O Banco do Brasil reduziu as taxas dessa linha para ao redor de 11% ao mês em janeiro. O Santander manteve suas taxas de juros do rotativo em 17% ao mês, em média.