Notícias

Ilan descarta utilizar juros para controlar alta da taxa de câmbio

por Notícias às 09:22 de 08/06/2018 em Mercado de Cartões

DCI-COMÉRCIO INDÚSTRIA & SERVIÇOS/SÃO PAULO

Após mais um dia agitado no mercado financeiro, quando surgiram especulações de que o Banco Central poderia subir a Selic extraordinariamente, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, veio a público e disse que não irá elevar a taxa básica de juros para conter a disparada do dólar ante o real.

“A política monetária olha para as expectativas de inflação e para o balanço de riscos’’, disse Ilan. Durante o dia de ontem, o dólar chegou a R$ 3,9146, alta de a ter alta de 2%, o maior valor desde o dia Io de março de 2016, quando alcançou R$3,94.

A escalada da moeda norte-americana ocorre em meio às incertezas políticas, que se agravaram nas últimas semanas com a greve dos caminhoneiros. Ilan disse que a autoridade monetária tem atuado para prover liquidez e continuará oferecendo contratos de swaps. Segundo ele, o BC conta com uma munição maior e oferecerá US$ 20 bilhões em swaps até o fim da semana que vem, “sem prejuízo de atuações adicionais”. “Hoje, estamos usando esse seguro e podemos ir além dos máximos históricos”, finalizou Ilan, confirmando o que o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, disse mais cedo. O presidente do Banco Central garantiu que atua junto com o Tesouro Nacional para oferecer liquidez aos mercados de câmbio.