Notícias

Mais otimistas com a economia, analistas do mercado revisam para cima PIB em 2017 e 2018

por Notícias às 14:23 de 06/12/2017 em Mercado de Cartões

Fonte: INFOMONEY/SÃO PAULO

Apesar do aparente resultado mais fraco do que o esperado no terceiro trimestre, as expectativas dos economistas de mercado com o PIB (Produto Interno Bruto) deste ano foram elevados, conforme aponta a mais recente edição do relatório Focus. Segundo o documento do Banco Central, a mediana das estimativas dos analistas para a atividade econômica em 2017 avançou de 0,73%, para 0,89%, ao passo que para o ano seguinte as apostas saltaram de 2,58% para 2,60%. O movimento acompanha a onda de revisão de projeções de algumas casas importantes sobre o desempenho da economia brasileira, tendo em vista as melhoras sentidas na demanda doméstica e nos investimentos.

Do lado da taxa básica de juros, as projeções se mantiveram em 7% nos dois períodos, indicando o último movimento na política de cortes na reunião do Copom (Comitê de Política Monetária) desta semana. As expectativas do mercado para a inflação oficial apresentaram pequeno recuo de 3,06% para 3,03% neste ano abaixo do piso estabelecido pelo Conselho Monetário Nacional e manutenção em 4,02% no ano seguinte. Do lado do câmbio, não houve alterações de cenário: R$ 3,25 para o dólar em 2017 e R$ 3,30 no ano seguinte.

Entre os cinco economistas que mais acertam em suas projeções o chamado "top 5" , no cenário de curto prazo, a mediana das projeções para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) recuaram de 3,03% para 2,93% neste ano e de 4,23% para 4,16% no ano seguinte. Do lado do câmbio, as projeções apontaram para alta em 2017 de R$ 3,25 para R$ 3,30 e manutenção em R$ 3,45 no ano seguinte. Pela Selic, não houve alterações: 7% neste ano e 6,88% no próximo.

Já no cenário de médio prazo do "top 5", as projeções para o IPCA apontaram para uma pequena revisão de 3,10% para 3,09% neste ano, ao passo que para 2018 o cenário de manteve apontando para alta de 4% nos preços. Do lado dos juros, a mediana das projeções apontou para 7% neste ano e 6,50% no seguinte. Já do lado do câmbio, houve elevação de R$ 3,15 para R$ 3,20 na mediana das estimativas para o dólar neste ano, e de R$ 3,20 para R$ 3,30.